Nosso

Alambique

Processo e etapas de produção

Moer e Fermentar a Cana

Colhida com técnicas de manejo e sem uso de fogo, a cana é esmagada em moendas elétricas situadas em local aberto, elevado e protegido do sol e da chuva, onde também é depositada a colheita diária. O caldo assim obtido é filtrado e decantado, livrando-se do bagacinho e outras impurezas prejudiciais à qualidade final, em seguida, ajustado em seus teores ótimos de açúcar (diluição com água potável) e acidez, visando uma fermentação perfeita. Assim normalizando, o caldo é conduzido às dornas de fermentação que, construídas em aço, evitam contaminações e proporcionam extrema higiene.

A fermentação, que transforma o açúcar do caldo em álcool totalmente natural, com leveduras selvagens provenientes da superfície do colmos da própria cana e artesanalmente desenvolvidas in loco. O fubá, única substância introduzida no processo, age no sentido de corrigir a acidez e alimentar as leveduras. A sala das dornas é de acesso exclusivo do alambiqueiro que monitora o desenvolvimento da fermentação e sua qualidade.

Destilar a Pura Cachaça

Completada fermentação obtém-se o vinho que desce imediatamente para o alambique. Este é aquecido a vapor produzido por caldeira alimentada pela queima do bagaço proveniente da moagem da cana, num sistema integrado. O tradicional alambique de cobre que favorece a qualidade da bebida - é constituído por três módulos: Alambique, pré-aquecedor e resfriador. Através do aquecimento controlado do vinho no alambique formam-se vapores ricos em etanol e produtos secundários voláteis como àcido acético, estéres, aldeídos e álcoois superiores , que condensados pelo resfriamento retornam à forma líquida constituíndo a cachaça.

Colhe-se agora, exclusivamente, a cachaça de qualidade que é destilada de coração. As outras frações, chamadas destilado de cabeça e destilado de cauda, obtidos respectivamente na fase inicial e final da destilação, responsáveis pela ressaca, dor de cabeça e outros inconvenientes, são eliminados. O destilado de coração é conduzido, sem contato humano, para os tonéis de envelhecimento.

Envelhecer em barris de carvalho

Contido em barris de carvalho, o destilado de coração que constitui a Reserva do Gerente adquire sua tonalidade amarelada, apura seu aroma e paladar e, através de reações de oxidação e esterificação realizadas lentamente no tempo, transforma-se em uma cachaça macia e aveludada. O envelhecimento harmoniza e equilibra os diferentes componentes da cachaça evitando que determinados sabores e aromas sobressaiam aos demais. Tudo isso é realizado em depósito apropriado de pé direito elevado, ventilado, fresco, com temperatura e umidade constantes e monitorado pelo Ministério da Agricultura que controla o processo lacrando os barris com selos de qualidade.

O local adquire uma atmosfera de aroma maravilhosamente inebriante e o produto, que mesmo novo já era de qualidade, é ainda melhorado pelo envelhecimento podendo, com justiça, ser equiparado aos melhores destilados do mundo.

O Resultado de todo este processo é uma cachaça de alto nível, ja reconhecida como das melhores entre as existentes no mercado.  A Cachaça de Qualidade Reserva do Gerente.